Planejamento financeiro familiar, você fala sobre isso em casa?

Educação financeira pode ser um divisor de águas na vida de milhões de pessoas. Inflação em alta, impactada pela pandemia, depois uma guerra que já dura meses entre Rússia e Ucrânia e os efeitos estão em nossos bolsos. É neste momento que ter um plano de emergência e uma estrutura financeira, ameniza os efeitos negativos da economia. Mas, onde aprender isso? Posso falar sobre o assunto em casa? Bem, vamos falar sobre isso.

Para se ter ideia do volume de pessoas com complicações na vida financeira no Brasil, destacamos os dados mais recentes da Peic (Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor), de abril, que em 77,7% dos brasileiros fecharam o mês com alguma dívida, o que representa um novo recorde.

“Ensinar aos alunos logo nos primeiros anos sobre a responsabilidade financeira irá tornar o Brasil um país com adultos mais conscientes sobre suas finanças e, com isso, o número de pessoas que se perdem em dívidas tende a diminuir”, avalia o diretor pedagógico do Colégio Pedro e Rafael (CPR), Pedro Yamada.

No CPR, por exemplo, existe o programa “Gênio das Finanças”, que trata de educação financeira comportamental, baseado em conceitos da Psicologia e da Economia. Os alunos aprendem desde o Pré até o 9° Ano de forma prática como superar armadilhas psicológicas relacionadas às finanças.

COM O GÊNIO DAS FINANÇAS, O ALUNO APRENDE:

1. Resolver problemas e tomar decisões autônomas, baseadas na mudança de atitude
2. Consumir e poupar de modo ético, consciente e responsável
3. Planejar em curto, médio e longo prazo
4. Desenvolver a cultura da prevenção
5. Ter uma postura criativa e empreendedora

Falar sobre finanças não pode ser um tabu em casa, compartilhar a vida financeira e a responsabilidade que ela carrega com os filhos, por exemplo, transforma realidade de famílias inteiras. Algumas dicas são:

• Ter autocontrole e não fazer compras por impulso;
• Traçar um plano para realizar os sonhos;
• Aprender a poupar e a investir em um fundo de emergências;
• Ensinar aos filhos atitudes e pensamentos saudáveis em relação ao dinheiro;
• Elaborar metas em família e buscar soluções

Compartilhe essa História

Facebook
WhatsApp
Twitter
Telegram
LinkedIn

Confira outros conteúdos...