O que é o teste vocacional e quando você deve fazê-lo?

Ainda no Ensino Fundamental Anos Finais, começa mais um importante ciclo da vida do aluno, uma etapa que vem acompanhada de uma grande responsabilidade: a escolha do curso de graduação, e nessa hora o que não faltam são as dúvidas. Qual profissão seguir? Qual o melhor curso se matricular? Como está o mercado de trabalho e em qual área atuar?

Responder a todos esses questionamentos nem sempre é uma tarefa fácil, por isso a maioria dos jovens que ainda possuem dúvidas sobre seu futuro, acabam buscando ajuda nos conhecidos testes vocacionais.

Mas afinal o que é o teste vocacional? Aplicados por profissionais como psicólogos, ele é nada mais do que uma análise comportamental que identifica opiniões e preferências do indivíduo, por meio dele são traçados pontos fortes e possíveis talentos. Geralmente são aplicadas questões que visam o autoconhecimento, com o intuito de auxiliar na escolha da profissão.

De acordo com especialistas, o estudante precisa ter em mente que essa é uma escolha exclusivamente sua, e que o teste deve ser usado para auxiliar e não para transferir a responsabilidade da decisão para outra pessoa. Vale lembrar também que essa orientação vocacional não é garantia de acerto, ela apenas busca caminhos para que o estudante faça uma escolha que mais condiz com sua personalidade.

Psicólogos destacam que as pessoas possuem várias aptidões, por isso é importante conhecer a si mesmo e verificar quais são suas reais afinidades e como deseja colocá-las em prática no dia a dia. Recomenda-se sempre pesquisar muito sobre os cursos de interesse, procurar profissionais que já atuem no mercado e se possível ter uma vivência daquilo que almeja.

O Colégio Pedro e Rafael, em Campinas| SP, conta com uma equipe de educadores e diretores que preparam os alunos do Ensino Fundamental Anos Finais para que façam a melhor escolha na hora de prestar vestibular.

O Colégio Pedro e Rafael entende que é preciso cautela e planejamento com antecedência para que a decisão final seja a mais assertiva possível. É importante que o aluno tenha bom diálogo com os pais e professores.

O jovem ingressante precisa também ter em mente qual é o retorno financeiro que terá ao longo da sua jornada, o quão prazerosa será a sua profissão, se ela oferece plano de carreira, por exemplo. Essa escolha irá o acompanhar por boa parte da vida. O processo pode se tornar mais simples do que você imagina com ajuda das pessoas certas.

 

 

 

 

 

 

Compartilhe essa História

Facebook
WhatsApp
Twitter
Telegram
LinkedIn

Confira outros conteúdos...