Estresse infantil: saiba como identificar e ajudar seu filho

Quando nos referimos a problemas como o estresse, é comum associar o problema a uma pessoa na fase adulta, porém, nos esquecemos que crianças e adolescentes também podem sofrer com esse sentimento. É muito importante ter a consciência de que o estresse infantil é uma realidade e que precisa ser identificado o quanto antes, para evitar maiores problemas de saúde, sejam físicos ou psicológicos, comprometendo a vida dentro e fora do ambiente escolar.

Vários fatores podem ser os gatilhos para o estresse infantil e na maioria das vezes eles estão ligados à rotina acelerada das famílias, que lutam diariamente para que as crianças cumpram o cronograma do dia a dia, com todas as atividades pré-determinadas em um curto período de tempo. Além do excesso de atividades, conflitos familiares e excesso de críticas também podem desencadear o estresse nos pequenos.

O estresse é uma reação do organismo que ocorre quando ele precisa lidar com situações que exigem um grande esforço emocional, se tornando um mal que afeta grande parte da população mundial nos dias atuais, incluindo crianças e adolescentes. Por isso, é muito importante que famílias e educadores estejam atentos a qualquer mudança de comportamento que eles possam apresentar. Veja os “sintomas” mais comuns:

• Mudanças de humor;
• Ansiedade;
• Medo;
• Isolamento;
• Insegurança;
• Insônia;
• Desobediência.

De acordo com especialistas, para evitar esse tipo de problema é essencial que os pais sejam capazes de saber ouvir seus filhos. Em muitos casos, os adultos tomam decisões importantes para o futuro dos pequenos sem ouvir o que eles pensam a respeito, alegando que as crianças não são capazes de compreender o que é bom para elas mesmas.

Aqui no CPR, nós trabalhamos em conjunto com os familiares e incentivamos a autonomia dos pequenos. Através do programa Escola da Inteligência, por exemplo, eles trabalham os sentimentos e características, como saber expor suas opiniões, mas também ouvir e dialogar sobre diversas possibilidades. Vale ressaltar que, caso a criança apresente níveis muito altos de estresse, é preciso buscar ajuda de um profissional para lidar com a situação.

Seja na infância ou na vida adulta, uma coisa é fato: manter os vínculos afetivos nos faz mais felizes e menos estressados com as situações desafiadoras. Pense nisso!

Compartilhe essa História

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Confira outros conteúdos...

Podcast Ensino Remoto

Nossas aulas remotas continuam e para mantermos a qualidade de ensino é importante contar com profissionais preparados e as melhores ferramentas online. Neste Podcast com

Contine Lendo »