Crianças e redes sociais: existe uma idade certa?

 

Em um cenário cada vez mais globalizado, é comum vermos diariamente crianças sendo presenteadas com tablets, smartphones e computadores, o que resulta em uma geração de jovens totalmente integrados ao mundo virtual. Entretanto, essa exposição às redes sociais e seu uso desenfreado tem suas consequências, e nem sempre podem ser positivas.

Uma das perguntas mais frequentes feita pelos pais quando o assunto é internet e redes sociais é sobre a questão da idade, se há realmente uma fase ideal para a criança passar a ter contato com essa realidade contemporânea. Embora a idade mínima permitida para se criar um perfil nas tradicionais redes como Facebook, Instagram e Twitter, seja a partir dos 13 anos, psicólogos e especialistas em infância e juventude, em recentes pesquisas afirmam que não há uma idade ideal para iniciar seu uso.

Contudo, asseguram que o quanto mais tarde melhor, e que a avaliação do momento adequado para se criar o perfil deve ser feita pelos pais, considerando a maturidade da criança em lidar com assuntos como privacidade e bullying. Deixam também o alerta para que seus responsáveis avaliem se o acesso às redes sociais não está sendo prejudicial às atividades escolares da criança. O ideal é ditar regras com horários específicos para cada tarefa e manter a disciplina, limitando o uso em horários como almoço e jantar, por exemplo.

Quando o assunto é o conteúdo acessado por esses jovens, é importante que haja um acompanhamento de perto, os pais precisam saber quais são as áreas de interesse de seus filhos, o tipo de amigos que possuem na rede, quais grupos participam e o que postam diariamente. Em nosso Colégio, educamos nossos alunos para que usem as redes sociais a seu favor, priorizando o acesso a conteúdos construtivos que possam vir a estimular a criatividade e o aprendizado, colaborando para seu desenvolvimento psicomotor.

Lições importantes para ensinar aos pequenos internautas

☑Crie uma senha segura e não compartilhe com outros usuários;

☑Não compartilhar informações pessoais, como endereço de casa e escola;

☑Cuidado com links que conduzam a sites que solicitam informações pessoais;

☑Evitar contato com pessoas estranhas, mesmo que virtualmente;

☑Deixar seus pais sempre envolvidos com suas atividades online.

O Colégio Pedro e Rafael em Campinas, acredita que a melhor forma para garantir um uso seguro das redes sociais é por meio do diálogo. Afim de que juntos, escola e família garantam o bem-estar físico e psicológico das crianças e adolescentes.

 

 

Compartilhe essa História

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Confira outros conteúdos...

Adolescência

Você é um “cringe”?

Há semanas a palavra “cringe” apareceu com muita frequência nas redes sociais e ganhou força no rol do vocabulário digital. Embora haja discussões sobre a

Contine Lendo »
Podcast

Podcast Ensino Remoto

Nossas aulas remotas continuam e para mantermos a qualidade de ensino é importante contar com profissionais preparados e as melhores ferramentas online. Neste Podcast com

Contine Lendo »