Transtornos alimentares: o trabalho com a autoestima dos adolescentes

A fase que antecede a adolescência, ou quando ela chega, costuma ser marcada por diversas mudanças no corpo e também em questões psicológicas, já que é nesse período em que o sentimento de pertencer a determinado grupo ou fazer parte de certos padrões ficam em evidência. Mas a “ditadura da beleza” pode trazer muitos problemas e é preciso que os pais e a escola estejam atentos.
Todos os dias, todos nós somos influenciados por padrões de beleza ou comportamento. No caso dos jovens, isso acaba potencializado pela exposição nas redes sociais, televisão e capas de revistas. No caso das meninas, esse “bombardeio” é ainda mais grave, já que o consciente coletivo incentiva a magreza, por exemplo, como sinônimo de beleza.
Antenado com essa temática e como ela está presente na vida dos alunos, o Colégio Pedro e Rafael tem trabalhado assuntos como distúrbios alimentares e autoestima dentro da sala de aula. “É importante que os alunos se sintam acolhidos, tenham espaço de diálogo e informação para falar sobre suas aflições, aprender sobre bulimia, anorexia e outros problemas que a busca por padrões podem trazer. Nós queremos ajudar os alunos nessa fase para que eles construam autonomia com valores, identidade própria e se aceitem como são e também respeitem as diferenças entre os amigos”, disse o diretor pedagógico Pedro Yamada.

Entre os problemas mais comuns apresentados por adolescentes que lutam para se encaixar em padrões estéticos estão transtornos alimentares como a bulimia e a anorexia. No primeiro deles, a vítima chega a se alimentar na frente dos amigos e familiares, mas o medo de engordar leva a provocação de vômito para que toda a comida ingerida não seja consumida pelo corpo. Além da perda de nutrientes, a prática ainda pode causar problemas em todo o tubo digestivo e até nos dentes. Já a anorexia é caracterizada pela ausência de ingestão de alimentos, quando a pessoa passa a comer cada vez menos, em quantidades insuficientes para o corpo ou até mesmo ausência de refeições.

Compartilhe essa História

Facebook
WhatsApp
Twitter
Telegram
LinkedIn

Confira outros conteúdos...

Dia das mães

Dia das Mães, e agora?

Qual presente comprar? Onde encontrar opções e melhores preços? Qual é mesmo perfume que ela gosta? “Xiii” (sic) que mesmice, hein?! Sim, é isso que

Contine Lendo »