Como falar sobre economia doméstica com os filhos

Mensalmente, muitas famílias repetem ao mesmo ritual: lista de contas a pagar e a receber, faz cálculos e mais cálculos, consulta o saldo bancário, pensa como ajustar o dinheiro que entra e que sai, e o resultado desta equação logo surge: precisamos economizar!

Imediatamente, uma série de medidas são anunciadas aos integrantes da casa para que façam à sua parte e, juntos, vençam esta batalha. Se identificou com esta situação?

Para muitas famílias, uma realidade. Para outras, nem tanto. Planejar e administrar o orçamento doméstico ainda é um desafio e se torna ainda maior quando tem que ensinar aos filhos.

Por isso preparamos esse conteúdo com reflexões e dicas para tratar o assunto dentro de casa.

Aprendizado que soma

Administrar o orçamento realmente não é uma tarefa fácil, mas essencial para garantir à qualidade de vida de sua família.

Segundo a consultora financeira, Patricia Donato, o ideal é que os pais tenham o hábito de gerenciar os seus recursos financeiros, pois as crianças tendem a seguir aos seus exemplos.

Donato comenta, sobre a importância de saber dizer “não”, pois isso traz consequências imediatas e futuras.

Mas não basta apenas saber fazer cálculos. Conseguir gerenciar e desenvolver habilidades socioemocionais são indispensáveis para manter um relacionamento mais sadio com as finanças.  E isso é um exercício processual e individual.

Se buscar ajuda for uma solução para ensiná-lo a economizar, procure pessoas de confiança e que tenham experiência sobre o assunto.

O ponto aqui é refletir o que tem sido feito em casa para conquistar a economia doméstica e, sobretudo, como você se comporta perante os filhos a esse respeito?

Multiplicando as responsabilidades

A economia doméstica é um assunto que deve envolver todas as pessoas da família, inclusive as crianças e os adolescentes.

Aprender desde cedo como faz a gestão dos recursos, permitirá que os filhos se tornem pessoas mais conscientes, autoconfiantes e preparadas para encararem ao futuro com segurança e qualidade. Mas como abordar esse assunto com eles?

A boa notícia é que o seu filho já está um passo à frente, pois a filosofia do Colégio Pedro e Rafael é baseada no Programa Escola da Inteligência, e já tem a premissa de desenvolver as habilidades socioemocionais que é essencial para ter uma boa relação com as finanças.

Outro diferencial, é que a educação financeira também faz parte do nosso projeto pedagógico. Ao longo do ano, seu filho possui atividade direcionada à idade dele.

Confira algumas dicas bacanas que preparamos para você e que podem ser aplicadas hoje mesmo em sua família:

Compras – ao fazer as compras, explique sobre a importância de comparar os preços, apresente a variedade de opções dos produtos, anote os valores das compras no seu caderninho de controle de gastos e mostre a eles.

Energia elétrica – explique de que maneira eles podem contribuir com a redução de gastos com a energia elétrica, seja num banho mais rápido, ficar menos tempo no videogame, televisão.

Água – ensine sobre a importância de gastar a água com prudência durante os banhos, na piscina, ao dar banho nos cães.

Alimentos – aconselhe a não desperdiçar aos alimentos – comer a quantidade que lhe satisfaça, mostre o reaproveitamento dos alimentos na cozinha.

Consumo consciente – analisar se realmente precisam de determinados produtos, se há conserto quando eles se danificarem, como fazer o descarte, se podem dar outra utilidade aquele item.

E, como bônus, algumas sugestões sobre como ensinar finanças pessoais aos filhos:

Como poupar – quem não lembra daquele porquinho de porcelana que muitos guardavam as moedinhas?  O cofre pode ser de outro material e vocês ainda podem criar um junto com os filhos. Não seria divertido? O lance é ensiná-los sobre a importância de poupar dinheiro.

Como gerir a mesada – estabeleça uma quantia semanal aos pequenos e quinzenal ou mensal para os maiores. Escolha uma data fixa para eles receberem a mesada, assim aprendem a gerir o dinheiro até a próxima “data de pagamento”.

Como recompensa – NÃO troque as moedas pelas tarefas que eles já deveriam fazer em casa (arrumar a cama, colocar o lixo na rua, entre outras), mas quando fizerem outras adicionais, como ajudar nos cuidados do jardim ou lavar o carro.

Como controlar os gastos – faça um combinado com eles e incentive-os a anotar todas as despesas num caderno. O legal também seria incluir a mesada neste controle, assim eles criam o hábito de acompanhar o quanto ganha e gasta.

Como incentivar o empreendedorismo – que tal pegar aquelas frutas dos pomares para vender, pulseirinhas feitas com miçangas que a vovó ensinou, cupcakes preparados junto com a mamãe e mostrar que eles também podem ganhar o seu próprio dinheiro?

Como desapegar – brinquedos, sapatos e roupas em boas condições que não servem mais, podem ser doados para outras pessoas. Assim eles aprendem a não se apegarem às coisas materiais e, ainda, o valor da ajuda ao próximo. Inclua os filhos na tarefa de separação e doação.

 

 

 

 

 

 

 

Compartilhe essa História

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Confira outros conteúdos...